segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Enchente

Na semana passada, assim que o marido melhorou  eu voltei pro Guarujá. Estacionei meu carro na rua, na frente do prédio. À noite começou a chover absurdamente. Chequei da varanda se a rua estava enchendo pra não correr riscos, e estava tudo sob controle. Depois de alguns minutos o porteiro liga pedindo pra todo mundo tirar o carro da garagem, por prevenção. Fui de novo conferir a situação da rua. O córrego que passa atrás do prédio transbordou e a rua virou um rio, com o fiestinha dentro. Desci correndo, saí pelo portão e encarei a enchente. Uma água fedida que meodeos, batendo no meio da canela. No primeiro passo a havaianas arrebentou. Não bastando colocar os pés na água imunda ainda tive que pegar a porcaria do chinelo com a mão (era novo!). eca. Entrei no carro e em um nano segundo liguei a chave engatei a marcha nem olhei no espelho virei o volante acelerei subi a rampa da garagem. E salvei o Fiestinha.  

A gente nunca acha que vai ser capaz de fazer algo que nos assusta tanto até que a hora chega. 


2 comentários:

Dani disse...

Caramba, Pili, que aventura...
;-)

Thiago disse...

Aventura!?!?!
e o meu fiestinha??
Ainda bem que ficou tudo bem com ele...
:)